Termas da Ladeira de Envendos

A zona do Pinhal Interior Sul, em plena transição das Beiras com o Alentejo oferece um enquadramento montanhoso que convida ao isolamento. É neste ambiente que se localizam as Termas da Ladeira de Envendos. Desde há mais de cem anos, a riqueza hidro-mineral da água que brota da rocha a 21ºC, vem sendo usada para promover o restabelecimento da qualidade de vida de quem as procura.As águas hipossalinas silicatadas possuem indicações terapêuticas para o tratamento de doenças de pele (psoríase, eczemas, úlceras varicosas, acne), do sistema osteoarticular (artroses, artrites, lombalgias, outras doenças reumatismais) e do sistema respiratório (rinite, sinusite, faringite, bronquite). O utente encontra ao seu dispor um variado leque de serviços como aerobanho, banho de imersão simples; variados tratamentos de duche, hidromassagem, aerossol, irrigação nasal, nebulização e Pulverização.Época termalDo 1º dia útil de maio ao último dia útil de outubro segunda a domingo :08:00 às 12h00| 16:00 às 19:000

+

Capeia Arraiana

A Capeia Arraiana é uma festa tauromáquica que faz parte da tradição das festividades populares da zona de Riba Côa, também conhecida como a raia de Espanha. Originária em Aldeia do Bispo, esta lide taurina tem raízes ancestrais e caraterísticas únicas no mundo. Desde 2011, esta manifestação da cultura popular faz parte do património cultural imaterial nacional. A sua singularidade reside no facto de a lide do touro bravo ser feita de forma coletiva, com o recurso a uma estrutura de troncos de madeira chamada “forcão”.O mês de agosto, época de reencontro das populações emigradas, é a altura do ano em que se revive esta tradição que adquire toda a sua grandiosidade nos cerimoniais da festa. Desde as primeiras horas do dia, vivem-se momentos como o “encerro”, o “boi da prova” ou a “petição da praça”. O momento alto vive-se pela tarde, quando os touros são lidados em praça por um grupo de homens resguardados pelo “forcão”, antes de serem devolvidos novamente à campina.A Capeia é uma manifestação profana usualmente integrada em festividades religiosas e acontece em várias aldeias da zona sempre no mês de agosto. A de Aldeia do Bispo acontece na festa de Nossa Senhora dos Milagres, na segunda 2ª feira de agosto.A Capeia Arraiana é um indiscutível fator identitário das povoações onde se pratica e o mais valioso Património Cultural Imaterial do concelho do Sabugal.fotografias de Francisco Fernandes e Paulo Fernandes.

+

Romaria de Santa Luzia

Estas festas são uma das grandes romarias da Beira Baixa e realizam-se a 15 de Setembro no santuário de Santa Luzia, uma capela do Século XVIII situada numa colina próxima à aldeia de Castelejo, no concelho do Fundão e coincide com o feriado municipal.Santa Luzia é a padroeira da visão e do programa das festas fazem parte as celebrações religiosas que se mesclam com as profanas. De véspera, ao fim da tarde realiza-se uma procissão com velas desde a igreja paroquial do Castelejo até à capela, transportando o andor da Senhora dos Milagres que vai encontrar-se com uma outra procissão encabeçada pelo andor de Santa Luzia que sai da capela do santuário. Para cumprir a tradição ancestral, os cortejos encontram-se a meio da rampa e as duas imagens «cumprimentam-se» e seguem juntas para a capela.À noite há desculpa para um animado arraial com bandas de música, onde a atração central é um grupo de bombos de Lavacolhos, uma aldeia vizinha que mantém a tradição dos grandes grupos de percussão que fazem arruadas. No Monte de Santa Luzia, tendas e bancas dos mais diversos comércios completam as festividades. O dia seguinte reserva-se à religiosidade com uma missa campal para os romeiros, altura em que se registam as maiores multidões. A festa prolonga-se ainda para o dia seguinte, celebrando Santa Eufémia adquirindo um cariz mais reservado aos habitantes locais.Santa Luzia é a padroeira da visão e do programa das festas fazem parte as celebrações religiosas que se mesclam com as profanas.  

+

Romaria de Nossa Senhora das Dores

A Festa de Nossa Senhora das Dores realiza-se no primeiro domingo de julho, no santuário situado na aldeia de Paul, no concelho da Covilhã.A tradição remonta à altura das Invasões Francesas. Em 1810, o pároco e o povo da aldeia esconderam a imagem num trigal com medo que fosse destruída pelas tropas de Massena. Como agradecimento surgiu a romaria. Em 1896 foi construída uma pequena capela que seria ampliada em 1954 para o atual santuário, com escadório e sete capelas intermédias.As festas envolvem milhares de pessoas nos atos litúrgicos que têm o seu ponto alto ao sábado à noite numa impressionante procissão de velas junto da imagem de Nª Sr.ª das Dores e que percorre a distância entre o santuário e a Igreja Matriz. No domingo a Imagem regressa em procissão ao santuário e, na parte da tarde organiza-se um cortejo alegórico organizado pelos sete locais da freguesia que correspondem às sete capelas do Santuário.A Festa de Nossa Senhora das Dores realiza-se no primeiro domingo de julho, no santuário situado na aldeia de Paul, no concelho da Covilhã.

+

Romaria da Senhora do Almortão

A maior e mais antiga romaria da Beira Baixa ocorre na terceira segunda-feira depois da Páscoa e a 15 de Agosto. A Senhora do Almortão tem o seu santuário a 7kms de Idanha-a-Nova e o seu culto é assinalado documentalmente desde o século XIII.A lenda fundadora do culto refere que a capela foi construída depois de ser encontrada uma imagem de Nossa Senhora no meio de murtas, de onde resulta o nome da festividade.No santuário, a capela-mor e o altar são revestidos de azulejos do séc. XVIII. O alpendre é formado por três arcos de granito onde habitualmente se juntam grupos de cantares femininos acompanhados com os tradicionais adufes da Beira Baixa.A parte da manhã consiste em serviços religiosos com missa seguida da tradicional procissão. Após as cerimónias, o almoço é o espaço de convívio profano entre famílias e amigos que aproveitam o espaço aberto para piqueniques. Os romeiros cantam quadras à Senhora, entre as quais as que traduzem o sentimento de libertação do domínio espanhol.A maior e mais antiga romaria da Beira Baixa ocorre na terceira segunda-feira depois da Páscoa e a 15 de Agosto.  

+

Ponte da Carvalha

A Ponte da Carvalha, também conhecida como Ponte Velha ou Ponte da Várzea é, talvez, o ex-libris da Sertã. Fica localizada na zona mais agradável da vila, à beira-rio, rodeada de áreas pedestres e de lazer. Esta construção data do séc. XVII, em pleno período do domínio filipino e diz-se dela que foi construída para substituir uma ponte romana existente nas imediações. Com 64 m de comprimento e seis arcos em alvenaria da pedra da região, cedo se tornou a entrada da vila e adquiriu uma importância estratégica na defesa da vila aquando das invasões francesas.Junto a ela, a Alameda da Carvalha é a zona mais agradável de toda a vila, onde pode também ser visto um Lagar de Varas, réplica fiel de um antigo lagar de azeite beirão. A área envolvente tem ainda espaço de merendas, esplanadas e zona pedonal que acompanha a Ribeira da Sertã.Mais acima, uma moderna ponte pedonal em madeira impõe-se no conjunto, num agradável contraste entre a modernidade e a história da vila.

+

Sabores e Saberes da Beira Baixa

Levamos a gastronomia da Beira Baixa a todo o mundoSonhada desde 2011, a Sabores e Saberes da Beira Baixa, surgiu do enorme amor às nossas raízes e do desejo de dar a conhecer (ou a redescobrir), os sons, os aromas, os odores e os paladares tão caracteristicamente nossos!Os sabores e os saberes da nossa terra, são as marcas que permanecem na memória, de cada um de nós, como sendo a nossa casa, o nosso refúgio, e, por isso, os levamos connosco para onde quer que vamos e, é sempre a eles que voltamos, quando precisamos de aconchego.E, como na nossa casa oferecemos apenas o melhor, temos disponíveis, para si, através da nossa página do facebook, os deliciosos produtos da Beira Baixa: queijos, enchidos, maranhos e buchos, mel, doces, vinhos, produtos agrícolas (cereja, maçãs, cherovia), pastéis de molho, biscoitos, entre muitos outros, produzidos com rigor, garantindo elevados padrões de qualidade, mas, mantendo os sabores originais.Experimente-os, redescubra o sabor das suas memórias e encontre-se com os novos sabores que temos para entregar em sua casa!Esperamos por si - aceita o nosso convite?Bem-haja. Os nossos produtosqueijos,enchidos,maranhos e buchos,mel,doces,vinhos,produtos agrícolas (cereja, maçãs, cherovia),pastéis de molho,biscoitosOs saborese os saberesda nossa terra Efetue a sua encomenda por:Facebook Website 

+

Páginas